Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

TU-BARÃO

Órgão de opinião própria sem periodicidade e com muita vontade de emitir opiniões sobre o nosso quotidiano

TU-BARÃO

Órgão de opinião própria sem periodicidade e com muita vontade de emitir opiniões sobre o nosso quotidiano

23.01.14

Marco Pina


Começo por felicitar o autor deste blogue. Caro amigo Barão das Neves, parabéns pela frontalidade e assertividade que empresta às linhas que discorre neste espaço de referência “bloguista”. Faço votos para que assim continue durante longos anos.
Dando resposta ao desafio que me lançou, irei escrevinhar algumas palavras, privilegiando uma das minhas paixões, o futebol, em detrimento de uma das outras, a política.
Quis o destino que no mês de aniversário deste blogue, ficássemos privados do maior símbolo da nossa nação benfiquista.
Infelizmente não tive o privilégio de o ver jogar, oficialmente, ao vivo. Sim disse bem, oficialmente! Porque pude desfrutar, enquanto criança, de algumas tardes na sua companhia, na quinta do meu primo Alfredo Vitorino (ex-jogador do Benfica e do Belenenses), na Azambuja. Aí existia um pequeno campo relvado, ao qual o "King" deu o nome e presenciou a inauguração, onde tive a oportunidade de o ver dar uns toques. Que orgulho!
O mês de Janeiro não podia começar de forma pior, em matéria desportiva.
Contudo, como de notícias tristes estamos todos cansados, e como de seguida o Benfica venceu o Porto, com uma exibição à antiga, vamos lá falar de factos positivos.
Quero crer que o período cinzento que nos amarfanhava está a ser, finalmente, vencido por uma lufada de ar fresco que nos irá revigorar e nos dará mais força para voltarmos acreditar em nós próprios.
Além da nossa economia começar a dar sinais de inversão de ciclo (é tão difícil fugir deste tema), mostrando ao mundo que somos um povo que não vira a cara à luta e que rapidamente se adapta a novos paradigmas, temos agora a força de outros exemplos, que deveríamos saber aproveitar.
Que orgulho, ver o “nosso” Ronaldo receber o prémio de melhor jogador do mundo. O seu percurso é um exemplo para todos nós, portugueses. Desde criança que acreditou nas suas capacidades e rapidamente aprendeu que só com esforço e trabalho é possível atingir resultados. Tive a honra de poder testemunhar isso em 1998 quando, no Torneio Internacional de Futebol Infantil da Pontinha, o vi receber o troféu de melhor jogador do torneio. Começou aí a senda de sucessos.
Mas não ficamos por aqui. Vamos lá aproveitar esta maré!
Também o meu amigo e antigo colega Pedro Proença viu o seu valor, mais uma vez, reconhecido, sendo nomeado para estar presente na Fase Final do Campeonato do Mundo de Futebol. Erra como os outros!? Sem dúvida! Se bem que menos vezes. Mas tem uma capacidade inata para a arte de arbitrar, aliando uma componente mental fortíssima a uma condição física insuperável.
É uma honra e um orgulho para Portugal poder ter estes dois melhores do mundo a elevar bem alto os desígnios lusitanos.
A cereja no topo do bolo seria José Mourinho ser o treinador de uma das selecções que disputam o Mundial. Aí teríamos o pleno dos melhores do mundo futebolístico, na prova mais mediática do planeta. Fica para uma próxima oportunidade.
Todavia, fica a certeza de que a nossa capacidade para enfrentar dificuldades, perseverança para lutar contra as injustiças e vontade de vencer, terão protagonistas à altura dos desafios.
Já é tempo de abandonarmos de vez a visão fatalista, pois já demonstrámos que no futuro seremos o que quisermos ser.
Quanto a mim, estarei a torcer por vós. A torcer por nós! Continuando convicto que o melhor está sempre por vir.

 

Membro do executivo da Junta de Freguesia de Odivelas