Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

TU-BARÃO

Órgão de opinião própria sem periodicidade e com muita vontade de emitir opiniões sobre o nosso quotidiano

TU-BARÃO

Órgão de opinião própria sem periodicidade e com muita vontade de emitir opiniões sobre o nosso quotidiano

16.11.15

Esta doença tem cura


Vivemos tempos perigosos.

Tempos de traição, de mentes doentes, de morte.

Quem mata indiscriminadamente franceses, portugueses, ou espanhóis que assistem calmamente a um espectáculo, ou que resolveram beber um café numa esplanada de Paris, Lisboa ou Madrid são monstros que merecem ser corridos da Civilização Ocidental.

TODOS temos de nos unir para correr com esta gente.

Já sei que vou ser apelidado de ser pouco tolerante, de ter uma mentalidade fechada etc etc e por isso mesmo deixo muito claro o que penso.

A tolerância deve ser uma realidade para com quem é tolerante, a firmeza deve ser uma realidade para quem é assassino.

Assistimos nos últimos dias a mais um massacre em Paris, e como disse o primeiro-ministro francês, a França está em guerra.

O povo francês tem como aliados nessa guerra os russos, os americanos, os australianos, os neozelandeses e todos os povos que ontem mesmo realizaram manifestações contra o estado islâmico.

De uma forma geral todos, ou quase todos, tem receio de escrever o que dizem em surdina.

Refugiam-se na invasão do Iraque, dão a volta com opiniões de terceiros mas “falar alto” ou dizer o que pensam é “complicado”.

Quem não tem coragem de condenar os últimos atentados de Paris é cobarde!

Serve-se da hipocrisia na escrita para frontalmente não afirmar com coragem: sou contra estes actos assassinos!

Sejamos concretos, sem sermos ofensivos.

Quem quer viver na Europa tem de se integrar nas regras que cada país entende que devem existir para os seus cidadãos.

Temos o dever de ajudar nessa integração mas temos o direito de exigir que cidadãos de outras nacionalidades, respeitem igualmente o que, por exemplo, nós portugueses somos “obrigados” a cumprir.

Com que direito usos e costumes que não são nossos nos são impostos nos nossos próprios paises?

A fraqueza que a sociedade ocidental tem demonstrado perante o estado islâmico e os seus apoiantes tem de terminar de uma vez por todas.

O Ocidente, de uma forma geral, só actua por reacção.

Devemos responder à intolerância com a nossa firmeza ao desrespeito com as nossas leis ao terrorismo com a aniquilação de todos os polos que sejam a fonte desta gente doida, assassina e completamente tresloucada.

Atenção que sou contra todos os tipos de sectarismo.

Mas, para vencer o Daesh os europeus devem continuar a apoiar a recepção a todos os refugiados, que fogem desta guerra e que são vítimas desta mesma barbárie nos seus países.

Existe neste momento uma guerra que temos de vencer, e essa mesma batalha não pactua com o nosso comodismo.

Conforme afirmou Bono, vocalista dos U2, “os terroristas não vão parar as nossas vidas” !

 

(intervenção na Radio Cruzeiro hoje)