.mais sobre mim

.actividade recentes

. Vamos lá por partes

. Caixa de Pandora

. O alfaiate do Panamá

. Guerra e Paz

. Artigo publicado em que j...

. Geringonça

. As partes de um todo!

. Por favor mate-me!

. As Injustiças da nossa Ju...

. De Joelhos

blogs SAPO

.arquivos

. Julho 2016

. Junho 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

Terça-feira, 26 de Janeiro de 2016

Os Índios e os Cowboys

Estávamos nós a tentar ver os desenhos do Tino de Rans quando fomos surpreendidos pela decisão do Tribunal Constitucional de repor as pensões vitalícias a políticos e a juízes do TC, que não sejam magistrados de carreira.

Nem sequer me preocupa se o custo destas pensões é elevado pois a sua existência é no mínimo escandalosa.

Como pode o cidadão comum aceitar que alguém receba uma pensão vitalícia por 12 anos de trabalho (com 80% do ultimo vencimento) quando esse mesmo cidadão nem com 50 anos de trabalho tem direito à sua pensão de reforma por inteiro?

Faz sentido esta enorme fronteira entre o povo e quem exerce cargos políticos? Não me parece!

A grande maioria dos deputados como advogados que são, chegam a exercer a sua função política ao mesmo tempo que exercem cá fora a sua função na advocacia.

Esta decisão do TB apanhou inclusivamente “fora de pé” Maria de Belém, candidata presidencial, que também subscreveu o pedido de constitucionalidade às escondidas.

Convêm ainda, para os mais distraídos, realçar que para além desta premissa, os deputados ainda têm um subsídio de integração quando deixam as suas funções.

Marisa Matias também veio a público condenar estes privilégios portugueses mas nada disse quanto ao facto de os eurodeputados, como é o seu caso, poderem ter as mesmas prerrogativas ao fim de 10 anos! Aguardemos pois.

Conforme disse esta semana Rui Tavares (não sou aderente nem votei no Livre): “todos nós gostaríamos de poder recorrer ao Tribunal Constitucional contra medidas que achamos inconstitucionais e violadoras dos nossos direitos. Porem esses privilégios cabe, entre outros, aos deputados que devem usa-lo em representação dos interesses colectivos e não do interesse próprio como sucedeu e para mais feito à socapa”!

Por fim deixo-vos os nomes dos que “às escondidas” resolveram solicitar ao TC a constitucionalidade da lei que Passos Coelho tinha introduzido:

Alberto Costa (PS), Alberto Martins (PS), Ana Paula Vitorino (PS), André Figueiredo (PS), António Braga (PS), Arménio Santos (PSD), Carlos Costa Neves (PSD), Celeste Correia (PS), Correia de Jesus (PSD), Couto dos Santos (PSD), Fernando Serrasqueiro (PS), Francisco Gomes (PSD), Guilherme Silva (PSD), Hugo Velosa (PSD), Idália Serrão (PS), João Barroso Soares (PS), João Bosco Mota Amaral (PSD), Joaquim Ponte (PSD), Jorge Lacão (PS), José Junqueiro (PS), José Lello (PS), José Magalhães (PS), Laurentino Dias (PS), Maria de Belém Roseira (PS), Miguel Coelho (PS), Paulo Campos (PS), Renato Sampaio (PS), Rosa Maria Albernaz (PS), Sérgio Sousa Pinto (PS) e Vitalino Canas (PS).

Entretanto tivemos ontem a eleição do novo Presidente da Republica com a vitória esmagadora de Marcelo Rebelo de Sousa e da abstenção.

Para além do ex-presidente do PSD também Marisa Matias e “Tino de Rans” estão de parabéns pelo resultado alcançado.

Perdedores, Sampaio da Novoa, Maria de Belém e o candidato da CDU Edgar Silva que obteve o pior resultado de sempre nas presidenciais para esta força política.

Outro vencedor da noite foi António Costa com a estratégia que implementou no PS tendo em vista estas eleições.

Sem nunca apoiar directamente nenhum candidato na primeira volta, não se comprometeu com a derrota de Sampaio da Nóvoa e deixou que todos os seus opositores, ao apoiarem Maria de Belém, tenham agora o deserto como horizonte!

 

Intervenção ontem na Radio Cruzeiro

publicado por Tubarão às 19:30

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 18 de Janeiro de 2016

Uns são filhos outros são enteados

Muito se tem falado e escrito a propósito da aplicação das 35 Horas aos empregados do estado.

Pergunto, desde já, porquê só aos empregados do estado?

Os empregados do sector privado não o merecem?

Não é de agora que escrevo umas linhas denunciando o facto de uns trabalhadores (os do privado) não serem tratados como os trabalhadores do sector publico.

Ainda não passaram muitos anos quando os trabalhadores do sector publico se podiam reformar 4 a 5 anos mais cedo do que os trabalhadores do sector privado.

Mais, havia inclusivamente o factor “tempo de trabalho” onde os funcionários públicos podiam se reformar com 35 anos de serviço e os do privado só com o limite de idade.

Alguém viu alguma vez uma central sindical levantar a voz contra estes dois pesos completamente diferentes? Não pois não?

Aliás, deixem-me partilhar com vocês algumas atitudes “engraçadas”: a concertação social serve para o que convêm não havendo uma linha orientadora, séria e ética pois se tal acontecesse era lá que as 35 horas deviam ser estabelecidas e não na Assembleia da Republica.

Desde sempre e como trabalhador por conta de outrem, já lá vão 45 anos, sempre defendi que os direitos deviam ser iguais para todos independentemente de sermos do público ou do privado.

Como posso ficar “mudo” quando vejo que o valor médio das reformas no sector privado é quase metade do mesmo valor do sector publico? Só recentemente foi feito algo para que os trabalhadores neste campo sejam tratados da mesma forma.

O problema é que nunca se vai ao encontro das melhores práticas pois colocaram-se os trabalhadores do sector publico com os mesmos princípios do sector privado quando o desejável era precisamente o contrário.

Como posso ainda hoje perceber que um juiz (neste caso uma juíza……) do Tribunal Constitucional se tenha reformado com 10 anos de actividade e com menos de 40 anos?

É vergonhoso que TODA a classe política nada faça, para alterar estes princípios que ofendem quem trabalha.

É normal ainda que juízes, policias, militares ou médicos tenham um tratamento diferenciado no âmbito da Administração Publica?

É normal que para alem destas destrinças também elas existam, na função publica, entre trabalhadores que desempenham a mesma função tendo em conta a data em que foram admitidos? Não me parece normal!

Deixem-me, para finalizar, partilhar com vocês o preâmbulo da proposta do Governo a propósito da implementação das 35 Horas: “ Fomentar uma maior conciliação da vida familiar com a vida profissional e visa salvaguardar direitos retirados unilateralmente aos funcionários públicos”!

Muito bem, mas quem trabalha no privado não deve também ter acesso a estes direitos.

Quando diferenciamos não estamos a melhorar estamos a criar barreiras estamos a dizer que existem portugueses de primeira e outros de segunda ou como diz o povo uns são filhos outros são enteados.

publicado por Tubarão às 22:50

link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 7 de Janeiro de 2016

Almoços em Lares da Terceira Idade

Maria de Belém , enquanto candidata à Presidência da Republica, veio propor que os chefes de estado que nos visitem almocem em lares da terceira idade.

Eu não concordo, proponho que os senhores almocem em jardins de infância...................................................

publicado por Tubarão às 18:16

link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 9 de Dezembro de 2015

Marcelo e o eu fiz!

O meu amigo Manuel Monteiro não perdoa e ao mesmo tempo "refresca memorias".

Com a devida vénia ao jornal i

"Quando em 1995 António Guterres foi nomeado primeiro-ministro, Marcelo Rebelo de Sousa não era presidente do PSD.

O líder dos sociais-democratas era Fernando Nogueira, o mesmo que anunciou o voto contra do seu partido à primeira proposta de Orçamento de Estado apresentada pelo governo socialista de então. Essa proposta, é bom recordá-lo, viria a ser viabilizada com a abstenção do CDS-PP, tendo isso contribuído para que a legislatura se iniciasse sem percalços e pudesse seguir caminho até 1999.

Quero com isto dizer, que não teriam existido orçamentos aprovados em 1997, em 1998 e em 1999, se em 1995 os 15 deputados do Partido Popular não tivessem considerado que a estabilidade política era mais relevante, do que as profundas diferenças que entre si e o PS existiam.

Essa atitude dos deputados do CDS-PP esteve igualmente presente noutros momentos dessa legislatura, inclusive na discussão e votação de outros orçamentos, não obstante o agora candidato presidencial Marcelo Rebelo de Sousa sistematicamente a ignorar e de forma deselegante, no mínimo deselegante, a querer fazer esquecer.

Nas suas palavras só ele existiu, só ele permitiu que a governabilidade fosse assegurada entre 1995 e 1999, só ele exigiu a realização de referendos e só ele garantiu a mobilização que deu a vitória do não à regionalização e ao aborto. De nada interessa se existiam outros partidos, outros protagonistas, outros intervenientes, porque tudo isso é coisa pouca, ou até inexistente, para quem se considera o princípio e o fim da vida política. Há pessoas assim, mas creio, sinceramente, que fica mal a Marcelo Rebelo de Sousa esta postura. "

Prof. da Univ. Lusíada

publicado por Tubarão às 18:36

link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 27 de Novembro de 2015

Ao fim de mais de 30 dias...................

........................a Calçada de Carriche está alcatroada !

Excelente !

 

publicado por Tubarão às 18:28

link do post | comentar | favorito
|

Secretarios de Estado

Para alem do Miguel Cabrita, este governo tem mais 2 amigos que prezo .

O Carlos Martins e o Nelson de Souza. 

tags:
publicado por Tubarão às 00:52

link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 26 de Novembro de 2015

Toda sorte do mundo para o Miguel Cabrita........................

......novo secretario de estado do emprego !

publicado por Tubarão às 14:47

link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 24 de Novembro de 2015

Quero um bom ambiente…………….

Realiza-se em Paris, a partir do dia 30 de Novembro, a Cimeira do Clima.

Todos os meses deparamos com cenários de desastres ambientais terríveis.

Cidades inundadas (aconteceu recentemente em Albufeira), secas extremas, fome, pessoas a fugir da subida das marés, etc etc.

Durante 13 dias a capital francesa será palco das discussões, entre os cerca de 195 países e 25 mil ONG presentes, tendo em vista reduzir as emissões de gases de modo a criar compromissos para além de 2020 até agora traçados.

Se a emissão de gases continuar a subir, os danos serão catastróficos. A continuar a trajectória actual a temperatura subirá, em média, 5ªC durante este século. Pretende-se que a subida se mantenha nos 2ªC pois caso contrario o degelo será enorme.

A questão ambiental é antiga e se não forem tomadas medidas irá afectar essencialmente as gerações futuras. Segundo especialistas esta cimeira será a última oportunidade de se chegar a um acordo universal entre as grandes potências mundiais.

A questão essencial coloca-se com a enorme quantidade de gases que a humanidade enviou para a atmosfera que provocam o efeito de estufa e consequentemente torna o aquecimento irreversível.

O mundo não pode continuar a brincar com o ambiente, terão ser impostos limites à emissão de dióxido de carbono (CO2) principalmente aos principais poluidores como a China, os EUA, a Rússia e a India.

Segundo as ultimas previsões as temperaturas médias globais à superfície terrestre vão este ano superar os níveis verificados na época pré-industrial.

Em Portugal a erosão costeira assume um particular relevo nas questões ambientais devido aos desastres que todos os invernos temos verificado levando a que algumas zonas balneares desapareçam por completo.

Temos também as pescas onde recentemente nos foram impostas restrições à apanha de certas espécies.

A cimeira, e todos nós, tem ainda de discutir o elevado consumo de papel, os resíduos que são produzidos diariamente, os anos que alguns elementos produzidos pelo homem demoram a ser absorvidos pela natureza, como o plástico e os filtros dos cigarros. Para além destas questões a cimeira debaterá outro assunto urgente: animais em vias de extinção como o Panda, o Urso Polar, e a Baleia Azul.

Torna-se importante referir, por fim, que o combate às alterações climáticas tem gerado crescimento e emprego pois segundo as últimas estatísticas a designada economia verde cresceu 4% no último ano atingindo já um valor próximo dos 4 biliões de euros.

Todos desejamos que a Cimeira de Paris seja um êxito.

(artigo semanal para a Radio Cruzeiro)

publicado por Tubarão às 18:12

link do post | comentar | favorito
|

Uns são traidores se falam na banca................

....................outros , como Cavaco Silva, trouxeram para a praça publica o mesmo tema. Enfim......

Aliás porque razão a Presidência da Republica tornou publicas as condições que Cavaco Silva exigiu a António Costa ?

Não devia ter havido algum recato ?

Os comandantes para exigirem devem sempre dar o exemplo pois só assim serão respeitados !

publicado por Tubarão às 15:08

link do post | comentar | favorito
|

Calçada de Carriche........................

A Câmara Municipal de Lisboa demora mais tempo a alcatroar a Calçada de Carriche, no sentido Odivelas-Lisboa, do que eu demorei a ir a pé de Lisboa a Fátima.................................

publicado por Tubarão às 14:07

link do post | comentar | favorito
|

.Facebook

Tu Barao

Cria o teu cartão de visita

.Benfica até debaixo de agua